15 fevereiro 2009

Contradições.

Escrito ao som de About Her - Malcolm McLaren.

Por tantas vezes a gente acredita na fidelidade das nossas convicções que é difícil admitir quando o que sempre acreditamos não é nada, comparado a algo que acabamos de presenciar.

O ciúme não é ciúme. A alegria não é alegria. A ira é mais forte do que se imaginava. Ainda assim, o espaço da liberdade continua intacto, inabalável. Por mais que tentem destruir, ele continua ali, firme. Mesmo quando caímos em contradição.

Afinal, sabemos que tudo não passa de contradições. Eu sou uma, você é outra.
Ambos somos normais.

Não mudamos de caráter só por que mudamos de opinião.

3 COMENTÁRIOS:

J. disse...

1. o blog tá excessivamente monocromático.
2. o texto tá prolixo, rebuscado, etc.
3. eu não sou uma contradição. sou um paradoxo.

Danilo Mota disse...

Esse texto você escreveu pensando no ocorrido de ontem?

Gabriel Mota disse...

Você viu a data do texto, imbecil?

Ahahaha!